“Dia do Desejo”; hospital libera refeições afetivas para internados com leucemia

Tratamento humanizado. Durante o “Dia do Desejo”, um hospital de Fortaleza liberou refeições feitas pelos papais e mamães dos pacientes, que estão internados, para oferecer um momento de conforto e satisfação.

A iniciativa quinzenal é para pessoas durante todo o ciclo de quimioterapia. Ao receberem refeições afetivas com os alimentos preparados em casa, os pacientes fogem um pouquinho da dieta básica hospitalar.

O cuidado é simples, mas pode mudar a perspectiva dos pacientes. “Eles identificaram a importância da alimentação para os pacientes, muitos dos quais passam longos períodos internados”, explicou o médico hematologista Rodrigo Monteiro, coordenador do serviço no HGF, Hospital Geral de Fortaleza.

Processo acompanhado

Todo o processo é acompanhado por uma equipe multidisciplinar, que envolve médicos, fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais, entre outros.

Assim que a comida é entregue pela família, o alimento é vistoriado antes de levado ao paciente.

“A equipe trabalha conjuntamente para garantir o bem-estar e a adequada nutrição dos pacientes”, disse a nutricionista, Rosângela Alencar.

O Dia do Desejo

A iniciativa é realizada para ajudar pacientes durante a quimio, que normalmente dura um mês.

Pacientes com leucemias agudas, ficam em média 20 a 30 dias internados devido à complexidade do tratamento.

E levar um pouquinho de conforto pode ajudar até mesmo na recuperação deles.

“Quando eu cheguei aqui e soube do projeto, achei muito interessante, porque não é todo hospital que faz isso, né? Se preocupar com o que o paciente deseja comer é algo especial, especialmente porque é cansativo comer a mesma comida todos os dias”, disse Valéria Moreira de Oliveira, internada há 21 dias.

Leia mais notícia boa

Menina de 2 anos doa medula e salva a vida de irmã com leucemiaRemédio experimental reverte leucemia em homem que foi desenganadoMenino de 11 anos se emociona ao tocar sino após cura da leucemia

Pacientes aprovam

O projeto funciona desde 2022 no Hospital Geral de Fortaleza (HGF).

Vando Bastos Alexandre, de 45 anos e que está em tratamento com três ciclos de internações que duram em média vinte e um dias, elogiou a iniciativa.

“É muito bom, porque a gente acaba enjoando das comidas servidas no hospital. Passamos muito tempo aqui e ficamos sem paladar, sem vontade de comer. Comer uma comida diferente, que você gosta, que tem o costume de comer em casa, é muito bom, fortalece o corpo e anima o espírito”, contou.

Rosângela contou que a ideia além de levar conforto emocional, proporciona uma satisfação alimentar maior.

O projeto é uma forma também de fazer um trabalho educativo com os pacientes.

“Há um esforço contínuo para educar os pacientes sobre a importância de uma alimentação equilibrada e natural, com menos industrializados e carboidratos refinados, para melhorar a resposta ao tratamento e minimizar os efeitos colaterais da quimioterapia”, finalizou.

Boa ideia, não?

Valéria está internada e durante o Dia do Desejo, disse que seu humor fica melhor. Foto: Equipe de Nutrição/HFG.

Com informações de Secretaria da Saúde do Ceará.

* Todas as notícias são retiradas de fonte de sites conforme informado na última linha “apareceu primeiro em …”

Compartilhe esta postagem:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias
Previsão do Tempo
+27
°
C
+28°
+23°
Campos dos Goytacazes
Quinta-Feira, 01
Ver Previsão de 7 Dias
Categorias

Assine nossa newsletter

Queremos oferecer para os ouvintes a playlist das melhores músicas Pop Rock!

Iniciar Conversa
Oi, Seja bem vindo(a)!
Olááá! Obrigado por ouvir a Rádio Capital Fm !!!